quarta-feira, 15 de agosto de 2018

EM BUSCA DO SOL


Imagem: Google


EM BUSCA DO SOL  


“A síndrome da Vaidade”


Como é espectacular e ao mesmo tempo perturbador...
O sonho do homem de, no futuro, voar até ao sol!
Está-lhe no instinto este seu espírito tentador
Ou será apenas, e só, uma mera ideia-girassol?

É cíclico e estranho que emerja esta ingénua tentação,
Que distinta diferença faz entre todos os seres viventes,
E é a demonstração vil e cabal dos vícios permanentes
Tendo como suporte final a vaidade e a presunção.

Indiferente ao estado actual da miséria e da dor,
Insensível perante os males, no seu infindável rol
Que tem na ignóbil presunção a sua tragédia maior,
Que mais pretende esta elite para incendiar o paiol?

Paiol das máquinas e das armas e del rei Dinheiro
Que está nas mãos de quem o poder sustenta e domina…
Onde está a justiça e a lei que este estado determina?
Estas, as marionetes que bailam pelo mundo inteiro!

Voar até ao sol… nem Ícaro ostentou tal ousadia,
Nem Deus Apolo, porventura, tal o consentiria!
Que alma, que valores, que loucura e que frenesim?
- Eis o fruto do Bem e do Mal do edénico Jardim! 

Frassino Machado
JANELAS DA ALMA

O POEMA É UMA FOLHA DA NATUREZA


Imagem:  Tutt'ART@ di Maria Laterza


O poema é uma folha da natureza


O poema é uma folha da natureza
Que se incorpora nos lençóis 
D’alma para dar cor e beleza
Ao dia que está a nascer.

O poema é os olhares vários ao mundo
Num só instante 
E dar-lhes vida como quem tem sede de arte.

O poema são ventos, sóis…
Ao leme do coração
Que navegam ao universo.

O poema é o respirar…
O outono nos pulmões repletos de oxigénio
E contagiar 
A humanidade, no inabalável génio.

O poema é rima, verso,
Metáfora… argilosa folha que se voa pelas almas 
Que sabem ler os segredos do coração.

O poema é o rio de palavras
Que se degusta em silabas
Como um singelo cálice de vocação.

O poema é cultura, arte…
A sensibilidade do poeta
Que dá amor à flor violeta.

O poema é um ser, é um todo
Que nasceu para dar luz ao mundo.

 © Ró Mar

ADORO-TE MAR!


Imagem: Google


Adoro-te Mar!


Mar azul, com seu manto prateado a brilhar
Amigo confidente que adoro escutar
Romântico, com sereias de encantar

Inventor de mil histórias de espantar
Momentos únicos em que podemos sonhar
Poema lindo com alma a murmurar
Onde sinto uma verdadeira magia no ar
Navego nas tuas ondas como a flutuar
Entrego-te os meus segredos sem hesitar
Navego no teu encanto e belo ondular
Tens uma beleza que enfeitiça meu olhar
És um Deus que eu venero e quero admirar!

Adoro-te Mar…
Decididamente estou apaixonada por ti!

O ÊXTASE DA PRIMAVERA...


Imagem: Google


O êxtase da Primavera transformado em poesia


Ela chegou, suavemente
perfumada e colorida 
como só ela sabe ser...
Linda Primavera
extasiante,
fascinante…
Numa dança 
que junta flores de todas as cores
e passarinhos a chilrear
também eu vou alinhar
cantar, brincar e dançar...
Mas quero algo mais além disso
quero escutar os sentimentos
de cada alvorecer
nos sulcos onde caem as sementes da emoção
neste vasto jardim germinado com o pólen da poesia!...
Será que é possível 
transformar o êxtase da Primavera em poesia?
Quero canteiros líricos entre cada flor
onde os poemas que escrevo 
falem da grandeza do amor
nesta safra dos sentidos
que vai colorir a Primavera 
com uma emoção maior!
Quero fazer de cada dia uma poesia
de cada flor um pedaço de amor
de cada poema uma hino de louvor…
Faço da minha alma uma “Dama da noite”
flor que por excelência tem uma fragrância inebriante
para perfumar as tuas noites de luar
juntamente com os mais belos sentimentos
que contigo quero compartilhar!
Durante o dia, irei transformar-me na mais bela 
e perfumada das rosas
para te embriagares, cada vez que me tocares…
Na metamorfose dos encantos desses momentos,
floresce em mim a Primavera da minha alma,
transformo-me numa borboleta e começo a voar
na brisa suave que me renova as energias
e a capacidade de sonhar…
Nesta linda e extasiante Primavera
quero apagar o que atrás doeu
esquecer a dor,
abortar a saudade
e reconstruir a Felicidade!
Para terminar, num imenso jardim de tulipas 
irei deambular ao encontro do amor perfeito,
que em sintonia com o meu sentir,
irá conjugar na perfeição o verbo amar
na sublime magia do êxtase da Primavera 
que aqui transformo em poesia,
simplesmente porque estou contente 
pois sei que algures, alguém me espera!

Paula Delgado

terça-feira, 14 de agosto de 2018

SÃO LEONARDO DA GALAFURA


Fotografia de marieh


SÃO LEONARDO DA GALAFURA
E A VISTA PARA O RIO DOURO


As leiras com videiras seguras por muros de xisto,
Formam em setembro socalcos multicolores, só visto!
As parras já queimadas pelo sol, arroxeadas
Com cachos de uvas da mesma cor e doiradas!

São Leonardo da Galafura foi local amado 
Por Miguel Torga, poeta tantas vezes indigitado 
Para o Prémio Nobel. Dizia ele que São Leonardo 
Era um barco de quilha para o ar, no vale virado.

Miradouro no alto de uma colina, deixa contemplar
O azul do rio e os socalcos, tudo bem guardado, 
Pelas palavras do poeta! Parece que ele ia adivinhar
Que tal paisagem ia ser Património Mundial nomeado!

Em baixo, o Douro Azul e sereno, beijando as ninfas, 
Seu tesouro e as casas solarengas, e as quintas!
Vista magistral, sublinhando a beleza do panorama 
Envolvente. De Torga encontra-se lá um epigrama:

"O Doiro sublimado. O prodígio de uma paisagem que deixa de o ser à forma de se desmedir. Não é um panorama que os olhos contemplam: é um excesso de natureza… "

Alfredo Costa Pereira